As Peripécias de Plínio Malaquias

As meias de Plínio Malaquias desaparecem e aparecem nos lugares mais inusitados. Logo descobrem que é o saci quem está por trás de tamanha travessura.

 Para reaver suas meias, Plínio Malaquias precisará enfrentar algumas das criaturas mais perigosas da floresta, como a Mula sem cabeça, o Curupira e a Mãe das águas, Iara.

Prisioneiros do cangaceiro Muriçoca, Plínio Malaquias, Eberaldo e Abgaiu são forçados a caminhar horas a fio sob o sol abrasador da caatinga.

Durante o árduo percurso, aprendem sobre as preferências musicais dos cangaceiros, seu vestuário e seus costumes.

Plínio Malaquias e seus amigos decidem passar uma noite na casa da árvore. Enquanto Abgaiu conta tudo que sabe sobre lendas indígenas, os amigos percebem a chegada de um misterioso visitante, o Boitatá.

Este, queixando-se da vida e dos jagunços que põem fogo nas matas, decide que é hora de se aposentar. Para ajudá-lo, os meninos levam o Boitatá à Gruta da Cuca, pois a bruxa se tornou uma poderosa empresária no ramo imobiliário.